A bolsa de valores entra no vermelho

bolsa de valores

As notícias da China atingiram a maioria dos mercados locais – o principal índice da Bolsa de Valores de Xangai se depreciou em mais de 4% na sexta-feira. O índice perdeu mais de 11% durante a semana e retornou aos níveis da queda no mercado de ações em julho.

Durante o comércio Hong Kong Hang Seng Índice caiu 2,4%, enquanto que para toda a semana as perdas atingiram 7,4%. O índice de ações no MSCI da Ásia-Pacífico caiu 2,4 por cento para a sessão e 6.1 para a semana, enquanto o Nikkei japonês perdeu 2.9 e 5.2 por cento.

Os mercados dos EUA seguiram a tendência da Ásia, os principais índices caíram abaixo dos níveis médios das últimas 200 sessões.

Dow Jones Industrial Average perdeu 2,1% e caiu para um ano abaixo de 16 990,69 pontos na quinta-feira. Foi o primeiro fechamento abaixo de 17.000 pontos desde outubro passado e o dia mais claro e brilhante desde fevereiro de 2014.

 

O colapso que parece não ter fim na bolsa de valores

Na sexta-feira, o colapso continuou com novos 3,12% eo índice atingiu 16 459. S & P 500 também caiu mais de 5% em os últimos dois dias na semana passada e já apagou todos os seus ganhos desde o início do ano.

Na abertura dos índices dos mercados europeus nos principais mercados, o índice Stoxx 50, FTSE 100, DAX e CAC 40 também caiu em mais de 2%.

Posteriormente, as perdas são limitadas a cerca de meio ponto percentual graças aos dados de melhoria da atividade no setor de manufatura na maior economia da região – a Alemanha.

No final da sessão, no entanto, o desempenho dos principais mercados de ações – Londres, Frankfurt e Paris, terminou em vermelho em cerca de 3%.

Leia também: